A essência do Ágil

Publicado: 12 de novembro de 2013 em Uncategorized
Tags:, ,

Direto ao ponto: a essência do desenvolvimento Ágil de software é o ciclo reduzido de feedback do cliente.

Podemos dizer que estamos inseridos em um contexto Ágil de desenvolvimento de software quando entregamos ao cliente software de valor a intervalos máximos de 2 meses. Podemos dizer que estamos obtendo sucesso com o desenvolvimento ágil de software quando na maioria destas entregas o cliente fica satisfeito com o que recebe.

Feedback do cliente não significa ele dizer se gostou ou não. Feedback do cliente serve para orientar continuamente o desenvolvimento do produto. A orientação que o cliente fornece é afetada pela entrega anterior, e afetará a entrega seguinte – e este é o ciclo de feedback.

O primeiro princípio do Manifesto Ágil não deixa dúvida sobre a essência do Ágil:

Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega adiantada e contínua de software de valor.

O terceiro princípio do Manifesto Ágil esclarece um pouco o que é software de valor e determina o quão reduzido é o ciclo de feedback:

Entregar software funcionando frequentemente, de duas semanas a dois meses, com preferência para o período mais curto.

Os demais princípios e mesmo os valores (texto principal do Manifesto Ágil), apresentam a cultura proposta para se alcançar este objetivo.

Erros comuns que fazem ficar de lado o princípio essencial:

1) Não envolver o cliente

Vejo times tentando ser ágeis mas apegando-se apenas a alguns valores ou princípios do Manifesto Ágil e ignorando o seu grande objetivo, que é a satisfação do cliente através da entrega contínua. Por exemplo, times que recusam o micro-gerenciamento, exigem ambiente adequado e suporte, reivindicam confiança, investem dias automatizando seus testes e melhorando seu código… mas alegremente abrem mão do envolvimento contínuo do cliente.

2) Não envolver o cliente

Vejo times tentando ser ágeis e seu esforço se resume a adotar parte da receita do Scrum – adotam apenas os aspectos que estão mais ao alcance. E abrem mão justamente do Product Owner (PO), papel tão fundamental no Scrum quanto o próprio Time de Desenvolvimento. Se o cliente não definir o que é valor e não guiar continuamente o desenvolvimento na direção deste valor, não há Ágil. O Time de Desenvolvimento pode achar que sabe identificar este valor, mas não sabe. Eventualmente um desenvolvedor pode ser muito bom em identificar valor para o cliente, mas sem a presença formal de um PO (já que estamos falando de Scrum), as decisões serão diluídas dentro do time, compartilhadas com pessoas sem a mesma visão mas mais influentes (gestor, desenvolvedor sênior, arquiteto, programador com mais tempo de casa…) e o valor não será garantido.

3) Não envolver o cliente

Se fizermos um levantamento do software que temos entregado liberado sem feedback contínuo do cliente, descobriremos que entregamos primeiro os 80% que nunca ou quase nunca são utilizados, e aquilo que o cliente realmente precisa foi entregue por último ou ainda está por entregar.

Concluindo

Se o grande objetivo do desenvolvimento Ágil de software é satisfazer o cliente através de entregas contínuas, como podemos ser Ágeis sem envolver o cliente? Aprendizados surpreendentes acontecem quando o cliente recebe software funcionando periodicamente e é realmente envolvido nas decisões sobre o que deve ser implementado a seguir, sobre quais recursos são essenciais, quais são bem vindos e quais não farão nenhuma diferença agora.

Já vi projetos “ágeis” super inovadores serem implementados a partir de uma única frase escrita ou falada pelo cliente. Estes produtos nunca ganham o mercado. Para o produto ser desenvolvido com sucesso, o cliente precisa pelo menos conseguir preencher uma folha A4 com a sua visão deste produto (o time pode ajudar), e precisa ser envolvido ao longo de todo o projeto para garantir que o desenvolvimento esteja caminhando na direção da sua visão.

E os demais princípios e valores do Manifesto Ágil, são apenas detalhes? Não. A maioria dos valores e princípios do Manifesto Ágil são indispensáveis para se alcançar o seu objetivo. Este post é para nos lembrar do objetivo em si – a satisfação do cliente; e para nos lembrar do esforço essencial, que é também um dos mais ignorados, na direção deste objetivo – o envolvimento do cliente.

Se você tem uma opinião diferente sobre qual é essência do Ágil, eu gostaria de ouvir.

Seria isso.

Anúncios
comentários
  1. […] já disse em outro post que este é o princípio que define o Ágil em si e que os demais princípios apresentam a cultura […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s